Um Milagre nos Dias Modernos

Nós, a equipe do ICEVES, acreditamos que este projeto surgiu primeiramente na mente de Deus, e foi transmitida a Seu servo, Luciano Sousa Campos, em um projeto acadêmico que realizou durante o seu curso missionário no ano de 2007 e 2008. Outros alunos, Clayton Silva e Erich Assunção, se interessaram pelo projeto e, juntos, ao realizarem uma programação espiritual no estado do Espírito Santo em outubro de 2008, compartilharam o projeto com todos os presentes. O retorno dos irmãos foi muito positivo. Todos gostaram da ideia e estavam dispostos a ajudar com recursos, na busca de terreno, organizar programações e de diversas outras formas, de acordo com os seus variados dons.

Naquele mesmo ano, em Dezembro de 2008, Giancarlo De Miranda, veio ao Brasil para palestrar em um Congresso Espiritual, no estado do Rio de Janeiro e, ali, teve a oportunidade de rever o seu amigo Erich e conhecer o Luciano e o Clayton. Nesta ocasião, os três jovens convidaram Giancarlo para unir‐se a eles no estabelecimento da escola missionária, e ele aceitou o desafio. Na época, tanto Giancarlo como Erich eram estudantes em escolas missionárias. Depois daquele Congresso, Giancarlo retornou para os Estados Unidos para concluir seus estudos, e Erich foi junto com ele para fazer o seu estágio na mesma Instituição.

Ambos visitaram igrejas nos finais de semana para pregar o evangelho e apresentar o projeto a fim de levantar fundos. Até o período da graduação de Giancarlo, em junho de 2010, o ICEVES produziu mensagens espirituais em áudio e vídeo e pregou a mensagem da “verdade presente” em muitos países. Enquanto isso, no Brasil, Convocações mensais foram organizadas e a busca por um terreno era constante. No ano de 2011, o ICEVES passou a dedicar‐se ao trabalho com a comunidade em pequenos grupos e de forma individual através de “obreiros de campo”, nas cidades de Venda Nova do Imigrante e na Grande Vitória, Espírito Santo.

Luciano era também o obreiro encarregado de avaliar os terrenos no estado do Espírito Santo e, achando algum terreno com as características estipuladas, deveria comunicar aos outros componentes da direção do ICEVES para juntos avaliarem a propriedade. Depois de três anos de busca (começando em 2009), Luciano estava desanimado de olhar os terrenos que o corretor dizia ter as características que ele procurava, mas que na realidade não tinham e, quando tinham, eram muito caros. Em Novembro de 2011, o corretor ligou uma vez mais dizendo ter o terreno que o ICEVES precisava. Luciano estava prestes a sair de férias e, por questões de tempo, quase disse que não iria ver o terreno, mas o Espírito de Deus o impressionou e ele foi.

O terreno era no campo, havia água, construções erigidas, pomar e o preço estava abaixo do mercado (de acordo com os valores da região). O proprietário, Nelson Kempin, pediu o valor de R$ 350.000,00. Giancarlo e Erich foram avisados, e visitaram o terreno. Uma profunda convicção sobreveio no coração de Giancarlo de que aquele era o terreno. Na negociação, o terreno abaixou R$ 30.000,00, e Nelson Kempin pediu uma entrada de R$200.000,00 e o restante em seis meses. Na época, o ICEVES tinha somente em torno de R$75.000,00, e mesmo assim fez uma contra proposta para que a entrada do pagamento fosse de R$120.000,00, o qual deveria ser pago duas semanas e meia depois, no dia 7 de Dezembro de 2011. O pedido foi negado. Foi uma grande decepção para os jovens missionários.

Naquele final de semana, eles realizaram uma programação no interior do Espírito Santo. Depois da programação, Giancarlo e Erich voltariam para o Rio de Janeiro, mas a mesma convicção continuava a pesar no coração de Giancarlo e ele pediu para que eles retornassem à propriedade no dia seguinte para fazer uma outra proposta.

Ao se aproximarem da casa, a família Kempin alegrou‐se achando que o ICEVES aceitaria as condições de pagamento estipulada. Mas, para o desapontamento deles, o ICEVES fez uma proposta de R$ 150.000,00 de entrada, a qual não foi aceita pelo o proprietário. Mais uma vez houve desapontamento de ambas as partes. O terreno parecia ser o ideal, era lindo, Deus parecia ter guiado aquela viagem, e o Espírito continuava a apelar à consciência dos três jovens, mas o valor da entrada era muito alto para um prazo tão curto.

Naquela mesma noite, Erich e Giancarlo retornaram de ônibus para o Rio de Janeiro, e passaram muito tempo conversando sobre o ICEVES e sobre alguma solução para conseguirem a propriedade: “Será que não existe alguma forma de levantar os R$ 125.000,00 restantes?”, disse Erich. “Além do apoio dos irmãos poderíamos pedir a alguns ministérios de sustento‐próprio já estáveis para nos ajudar”, respondeu Giancarlo. “Quando Davi quis construir o templo, ele usou também os seus próprios recursos para angariar os materiais necessários”, acrescentou Erich, “e isto significa que teríamos que começar a angariar os fundos primeiramente conosco”, concluiu Giancarlo. Naquela noite, os dois jovens decidiram fazer uma doação de sacrifício para comprar o terreno e creram que Deus honraria a sua fé provendo o restante do dinheiro.

No dia seguinte, grandes esforços para levantar fundos começaram. Alguns e‐mails foram enviados para ministérios simpatizantes com o projeto, e na mesma semana Giancarlo retornou ao Espírito Santo para juntamente com Luciano visitarem os apoiadores do projeto e apresentar o desafio de levantar R$ 125.000,00 em praticamente duas semanas. Todas as famílias visitadas contribuíram com a compra do terreno. Dois ministérios de sustento‐próprio Adventistas apoiaram com doações. Até mesmo uma doação de R$ 5.000,00 por uma senhora que não era de nossa fé foi feita.

Quando o dia 6 de Dezembro chegou, o dia anterior ao prazo estipulado, o ICEVES já tinha cerca de R$ 160.000. Onde eles conseguiriam os R$ 40.000,00 restantes? Nesta ocasião estavam o Giancarlo, o Luciano e o Erich em Vitória, Espírito Santo. Eles foram visitar uma senhora que havia dito a eles que, depois de eles levantarem os fundos, a visitassem novamente. Por volta das três horas da tarde, eles chegaram em seu local de trabalho, e a senhora perguntou: “Quanto falta para conseguirem o dinheiro?”. Então veio a resposta tímida: “40.000”. E a senhora, que sempre vivera de forma simples, nunca demonstrando luxo em seu vestuário, carro e casa, respondeu: “Eu tenho uma reserva, e posso cobrir o valor restante”. Você consegue imaginar a alegria que transbordou no coração daqueles jovens? Você parou para pensar no que Deus pode fazer por aqueles que colocam sua confiança inteiramente nEle? Deus havia honrado os passos da fé, e confirmado a Sua vontade em relação a realização do ICEVES.

Luciano foi o primeiro obreiro a se mudar para a propriedade. Em fevereiro de 2012 novos obreiros se uniram a ele para preparar a nova propriedade. Como nas escolas modelo descritas pela serva do Senhor, Ellen White, eles começaram plantando árvores frutíferas para, em breve, servir de sustento para a escola. Hoje o ICEVES tem mais de 500 árvores frutíferas na propriedade, não incluindo dois bananais de tamanho considerável já existentes na compra da propriedade. Estabeleceram também uma pequena indústria de alimentos naturais para ajudar a subsidiar o projeto e terminaram a construção de um apartamento que serviria de moradia para uma família de obreiros.

Junho de 2012 foi o prazo estipulado para o próximo e último pagamento da propriedade. Giancarlo esteve à frente da obra de levantar fundos, e por vezes sentia que levantar o valor restante, R$ 120.000,00, em seis meses, era mais difícil do que levantar o dinheiro da entrada em duas semanas, e a razão disto era porque a maioria dos apoiadores, incluindo instituições simpatizantes, já haviam doado. No entanto, a primeira experiência, era uma constante lembrança de que Deus estava no comando. E não diferentemente daquela experiência, os recursos necessários foram completos nos últimos dias do prazo.

Em Julho de 2012, Giancarlo e Tatiana Miranda se mudaram para a propriedade para ajudarem a obra mais de perto. Seguindo as instruções divinas em Sua palavra, o ICEVES plantou lavouras de vários tipos de feijões, milho, soja, batata doce e uma pequena horta para subsistência. Deu-se início à construção da sala de aula e a mesma foi concluída no dia 14 de dezembro. No dia 15 de dezembro do mesmo ano, a primeira Convocação na sede do ICEVES foi realizada. Foi um dia de festa espiritual. O ICEVES, juntamente com os seus apoiadores, comemoraram um ano da compra do terreno, a construção da sala de aula e agradeceram ao Senhor por fazer do ICEVES uma realidade.

No ano de 2013, deu-se início aos cursos de treinamento missionário. O primeiro curso foi realizado nas férias de Carnaval, recebendo 30 alunos. O curso de Evangelismo Bíblico foi realizado no segundo semestre do mesmo ano com grande sucesso. Desde então, o ICEVES tem oferecido programas de treinamento missionário na área de Bíblia e de Saúde com duração de 4 meses. Para completar esta maravilhosa história, contamos com sua ajuda. Você deve estar se perguntando: “Como poderei ajudar?” Simples! Basta se cadastrar para receber gratuitamente os CDs com gravações em áudio do Andando com Deus, frequentar as Convocações, vir nos visitar, e/ou inscrever-se nos cursos oferecidos pelo Instituto… Vemos você em breve!